O que é o glaucoma? O glaucoma é uma doença ocular séria, que sem o tratamento adequado, pode ocasionar a perda da visão totalmente. Em algumas doenças oculares, há progressão sem o paciente sentir nenhum tipo de sintoma ou até mesmo a perda visual nos estágios iniciais, o que acontece na grande maioria dos casos de glaucoma. Portanto, é muito importante se consultar com o oftalmologista regularmente. O glaucoma promove danos ao nervo óptico causados pelo aumento da pressão articular. O nervo óptico é responsável por enviar imagens formadas pelos olhos para que sejam processados pelo nosso cérebro. Essa doença é uma condição imperceptível e quando o paciente percebe a perda do campo de visão, a doença já está em um estágio avançado, pois o campo visual vai se estreitando cada vez mais rápido, podendo levar à cegueira completa, de maneira irreversível. O que causa o glaucoma? A causa da doença ainda é desconhecida, porém, é muito importante estar com os exames periódicos em dia e realizá-los pelo menos uma vez a cada dois ou três anos. Entretanto, há alguns fatores de risco que estão ligados ao surgimento da doença. Por exemplo, tumores intraoculares, inflamação intraocular e descolamento de retina, pode causar o glaucoma. Um alto grau de miopia e uso também de remédios como corticoides, principalmente em pessoas que tem sensibilidade à medição, podem levar ao aumento da pressão intraocular secundário ao uso do remédio. Além disso, o diabetes também pode aumentar o risco do desenvolvimento do glaucoma, a hipertensão e outras doenças cardíacas também. Quais os fatores de risco podem levar ao glaucoma? Pressão intraocular – O fator mais importante O principal fator para a ocorrência do glaucoma, é a pressão intraocular elevada. Nessa situação, o nervo óptico fica mais comprimido, fazendo com que haja maior possibilidade desse problema acontecer. Histórico familiar Pacientes que têm histórico familiar de glaucoma, tem mais riscos de ter esse problema. A condição genética desempenha um papel muito importante na ocorrência dessa doença, mesmo na ausência de outros fatores. Etnia O motivo ainda não foi esclarecido, mas pessoas negras têm mais chances de desenvolver essa doença quando comparados a pacientes de outras etnias, principalmente acima dos 40 anos de idade. Mas isso não significa que toda pessoa negra terá esse problema. Os fatores de risco para o glaucoma incluem desde questões como a pressão intraocular até mesmo a etnia. A questão é que, quanto mais fatores o paciente tiver, maiores são as chances de desenvolver o quadro. Idade A idade também é um fator de risco. Ou seja, quanto mais velha a pessoa for, maiores são os riscos de que o paciente tenha algum tipo de problema na região dos olhos. Portanto, pacientes acima dos 60 anos, têm risco de desenvolver o glaucoma. Doenças oculares Tumores, descolamento de retina e inflamações, também aumentam o risco de glaucoma. Diferentes tipos de glaucoma e como identificá-los Muitos já ouviram falar sobre o glaucoma, mas o que algumas pessoas não sabem, é que não existe apenas um tipo de glaucoma e suas causas. Além dos sintomas e formas de prevenção que podem variar. Os principais tipos de glaucoma: ● Glaucoma primário de ângulo aberto ● Glaucoma de ângulo fechado ● Glaucoma secundário ● Glaucoma congênito Glaucoma primário de ângulo aberto Esse é o tipo de glaucoma mais comum de glaucoma e ocorre em 80% dos casos. O aumento da pressão ocorre ao longo dos anos, o dano ao nervo óptico vai ocorrendo sem que seja percebido pelo paciente, já que na maioria das vezes, a lesão do campo visual acontece quando o glaucoma já está muito avançado. Esse tipo de glaucoma é assintomático e a melhor maneira de prevenção é o exame oftalmológico periódico. Glaucoma de ângulo fechado Conhecido também como glaucoma agudo, esse tipo acontece em olhos com predisposição anatômica ao fechamento do ângulo formado entre a íris e a córnea. Essa é a região onde se encontra o sistema de drenagem do líquido intraocular, e a obstrução dessa região leva ao aumento da pressão intraocular de forma aguda. Esse tipo de glaucoma é sintomático e causa uma dor intensa na região ocular e na cabeça, além de náuseas e visão embaçada. É muito importante ter o tratamento adequado com um médico oftalmologista, pois se não for tratado corretamente pode levar a perda da visão em poucos dias. Glaucoma secundário Nesse tipo de glaucoma, o aumento da pressão intraocular ocorre após catarata avançada, doenças inflamatórias, hemorragias, diabete avançada e entre outros fatores. Além disso, o uso de corticoides oculares ou sistêmicos também podem causar o aumento da pressão intraocular. Glaucoma congênito O glaucoma congênito é uma doença rara dos olhos que pode afetar o bebê desde o nascimento e crianças até os 3 anos de idade, resultando a má formação de sistema de drenagem dos olhos. O aumento da pressão intraocular já ocorre dentro do útero e pode comprometer gravemente a visão da criança. O diagnóstico precoce é fundamental para que o tratamento seja feito o mais rápido possível, com a orientação do oftalmologista, que pode indicar o uso de colírios para diminuir a pressão intraocular e a cirurgia para criar um novo sistema de drenagem do líquido dentro do olho. Quais são os grupos de risco? Para quem se enquadra no grupo de risco do glaucoma, precisa tomar todos os cuidados e realizar exames oftalmológicos de forma frequente para identificar a doença antes mesmo do estágio de avanço. ● Pessoas acima dos 40 anos ● Pessoas com histórico familiar da doença ● Pessoas negras e asiáticas ● Pessoas que sofrem lesões físicas no olho ● Diabéticos Tratamento É fundamental fazer o tratamento do glaucoma para impedir a evolução do quadro à cegueira. O ponto fundamental, é o diagnóstico precoce. Quando ele é feito, o oftalmologista indica as formas mais adequadas de tratamento, dependendo de cada caso. Pode ser por meio de procedimentos clínicos, cirúrgicos, ou até mesmo, a junção dos dois. Além disso, não se deve fazer o uso de medicamento por conta própria. Procure um oftalmologista.

Fatores de risco do glaucoma

O que é o glaucoma?

O glaucoma é uma doença ocular séria, que sem o tratamento adequado, pode ocasionar a perda da visão totalmente. Em algumas doenças oculares, há progressão sem o paciente sentir nenhum tipo de sintoma ou até mesmo a perda visual nos estágios iniciais, o que acontece na grande maioria dos casos de glaucoma. Portanto, é muito importante se consultar com o oftalmologista regularmente. O glaucoma promove danos ao nervo óptico causados pelo aumento da pressão articular. O nervo óptico é responsável por enviar imagens formadas pelos olhos para que sejam processados pelo nosso cérebro. Essa doença é uma condição imperceptível e quando o paciente percebe a perda do campo de visão, a doença já está em um estágio avançado, pois o campo visual vai se estreitando cada vez mais rápido, podendo levar à cegueira completa, de maneira irreversível.

O que causa o glaucoma?

A causa da doença ainda é desconhecida, porém, é muito importante estar com os exames periódicos em dia e realizá-los pelo menos uma vez a cada dois ou três anos. Entretanto, há alguns fatores de risco que estão ligados ao surgimento da doença. Por exemplo, tumores intraoculares, inflamação intraocular e descolamento de retina, pode causar o glaucoma. Um alto grau de miopia e uso também de remédios como corticoides, principalmente em pessoas que tem sensibilidade à medição, podem levar ao aumento da pressão intraocular secundário ao uso do remédio. Além disso, o diabetes também pode aumentar o risco do desenvolvimento do glaucoma, a hipertensão e outras doenças cardíacas também.

Quais os fatores de risco podem levar ao glaucoma?

Pressão intraocular – O fator mais importante

O principal fator para a ocorrência do glaucoma, é a pressão intraocular elevada. Nessa situação, o nervo óptico fica mais comprimido, fazendo com que haja maior possibilidade desse problema acontecer.

Histórico familiar

Pacientes que têm histórico familiar de glaucoma, tem mais riscos de ter esse problema. A condição genética desempenha um papel muito importante na ocorrência dessa doença, mesmo na ausência de outros fatores.

Etnia

O motivo ainda não foi esclarecido, mas pessoas negras têm mais chances de desenvolver essa doença quando comparados a pacientes de outras etnias, principalmente acima dos 40 anos de idade. Mas isso não significa que toda pessoa negra terá esse problema. Os fatores de risco para o glaucoma incluem desde questões como a pressão intraocular até mesmo a etnia. A questão é que, quanto mais fatores o paciente tiver, maiores são as chances de desenvolver o quadro.

Idade

A idade também é um fator de risco. Ou seja, quanto mais velha a pessoa for, maiores são os riscos de que o paciente tenha algum tipo de problema na região dos olhos. Portanto, pacientes acima dos 60 anos, têm risco de desenvolver o glaucoma.

Doenças oculares

Tumores, descolamento de retina e inflamações, também aumentam o risco de glaucoma.

Diferentes tipos de glaucoma e como identificá-los

Muitos já ouviram falar sobre o glaucoma, mas o que algumas pessoas não sabem, é que não existe apenas um tipo de glaucoma e suas causas. Além dos sintomas e formas de prevenção que podem variar.

Os principais tipos de glaucoma:

* Glaucoma primário de ângulo aberto

* Glaucoma de ângulo fechado

* Glaucoma secundário

* Glaucoma congênito

Glaucoma primário de ângulo aberto

Esse é o tipo de glaucoma mais comum de glaucoma e ocorre em 80% dos casos. O aumento da pressão ocorre ao longo dos anos, o dano ao nervo óptico vai ocorrendo sem que seja percebido pelo paciente, já que na maioria das vezes, a lesão do campo visual acontece quando o glaucoma já está muito avançado. Esse tipo de glaucoma é assintomático e a melhor maneira de prevenção é o exame oftalmológico periódico.

Glaucoma de ângulo fechado

Conhecido também como glaucoma agudo, esse tipo acontece em olhos com predisposição anatômica ao fechamento do ângulo formado entre a íris e a córnea. Essa é a região onde se encontra o sistema de drenagem do líquido intraocular, e a obstrução dessa região leva ao aumento da pressão intraocular de forma aguda. Esse tipo de glaucoma é sintomático e causa uma dor intensa na região ocular e na cabeça, além de náuseas e visão embaçada. É muito importante ter o tratamento adequado com um médico oftalmologista, pois se não for tratado corretamente pode levar a perda da visão em poucos dias.

Glaucoma secundário

Nesse tipo de glaucoma, o aumento da pressão intraocular ocorre após catarata avançada, doenças inflamatórias, hemorragias, diabete avançada e entre outros fatores. Além disso, o uso de corticoides oculares ou sistêmicos também podem causar o aumento da pressão intraocular.

Glaucoma congênito

O glaucoma congênito é uma doença rara dos olhos que pode afetar o bebê desde o nascimento e crianças até os 3 anos de idade, resultando a má formação de sistema de drenagem dos olhos. O aumento da pressão intraocular já ocorre dentro do útero e pode comprometer gravemente a visão da criança. O diagnóstico precoce é fundamental para que o tratamento seja feito o mais rápido possível, com a orientação do oftalmologista, que pode indicar o uso de colírios para diminuir a pressão intraocular e a cirurgia para criar um novo sistema de drenagem do líquido dentro do olho.

Quais são os grupos de risco?

Para quem se enquadra no grupo de risco do glaucoma, precisa tomar todos os cuidados e realizar exames oftalmológicos de forma frequente para identificar a doença antes mesmo do estágio de avanço.

* Pessoas acima dos 40 anos

* Pessoas com histórico familiar da doença

* Pessoas negras e asiáticas

* Pessoas que sofrem lesões físicas no olho

* Diabéticos

Tratamento

É fundamental fazer o tratamento do glaucoma para impedir a evolução do quadro à cegueira. O ponto fundamental, é o diagnóstico precoce. Quando ele é feito, o oftalmologista indica as formas mais adequadas de tratamento, dependendo de cada caso. Pode ser por meio de procedimentos clínicos, cirúrgicos, ou até mesmo, a junção dos dois. Além disso, não se deve fazer o uso de medicamento por conta própria. Procure um oftalmologista.

 

 

 

Deixe um comentário