O estrabismo tem cura?

O Estrabismo tem cura?

O estrabismo é um desequilíbrio nos músculos oculares. O distúrbio, que afeta o paralelismo entre os dois olhos, faz com que apontem para direções diferentes. O olho possui cerca de seis pares de músculos extra-oculares, que são responsáveis por controlar o movimento dos olhos.

Portanto, para que ambos os olhos fiquem alinhados, todos esses músculos precisam estar em equilíbrio. Quando isso não acontece, ocasiona o estrabismo. Esse problema pode ser notado e identificado já no nascimento ou pode ocorrer durante a fase adulta.

Como tratar o estrabismo

O tratamento para estrabismo pode ser feito em qualquer idade, mas isso não quer dizer que não seja um tratamento urgente. Sendo assim, quanto mais rápido for identificado, mais rápido esse erro refrativo poderá ser corrigido e resolvido. É muito importante que todos os adultos e crianças a partir de 1 ano de idade realizem exames oftalmológicos de rotina 1 vez por ano.

No caso do estrabismo, o tratamento indicado dependerá do grau de comprometimento em que o problema se encontra. Por exemplo, o tratamento para estrabismo por esotropia é realizado por meio da oclusão. Nessa situação, o olho que está comprometido é coberto por um tampão e, se for preciso, o paciente também deverá usar óculos. Se o caso for um pouco mais complicado, é necessário passar por uma cirurgia para corrigir o problema. Tudo isso é avaliado pelo médico oftalmologista, que vai indicar o melhor tratamento.

Já no caso do estrabismo divergente, o tratamento inicial é feito com o uso de tampão, óculos e exercício de fisioterapia. Em alguns casos de estrabismo, para tratar o problema, pode-se se fazer o uso da aplicação de toxina botulínica, uma substância que paralisa partes do músculo ocular, fazendo com que haja equilíbrio e alinhamento do olhar.

O oftalmologista vai prescrever o melhor tratamento para ser feito, tudo vai depender do grau em que esse problema refrativo se encontra.

Como identificar o estrabismo

O diagnóstico do estrabismo é dado por um oftalmologista, ele fará uma avaliação para analisar o paralelismo dos olhos, detectando se há desvio do olhar. Dependendo de como será essa avaliação inicial, o oftalmologista pode solicitar alguns exames, como ressonância magnética e tomografia e exames de sangue. Uma eletroneuromiografia também pode ser solicitada, esse exame avalia a quantidade de transmissão dos impulsos nervosos.

Além disso, outros exames oftalmológicos para identificar o problema também podem ser feitos, como teste padrão de listras, movimento ocular, fundo de olho e oclusão. Esses exames são essenciais para diagnosticar qual o tipo de estrabismo que o paciente possui.

O estrabismo tem cura?

Cada tipo de estrabismo possui um tratamento adequado. Para desvios mais leves, somente o uso de óculos é o bastante, assim como a recomendação de colírios e exercícios ópticos para fortalecer os músculos.

O tampão para o olho e aplicação de toxina botulínica também são maneiras de corrigir o problema. Já a cirurgia só é recomendada em casos mais avançados, esse procedimento corrige o posicionamento dos músculos responsáveis pelos movimentos dos olhos, tem pouca duração e a recuperação é rápida.

Portanto, o estrabismo pode sim ter cura, mas tudo isso vai depender do diagnóstico precoce e o tratamento mais adequado, dependendo em qual grau que a doença se encontra.

Procure um médico oftalmologista para te auxiliar melhor quanto a essa doença.

Agende uma consulta no Centro Clínico Imagem agora mesmo clicando aqui.

 

Deixe um comentário