Tudo o que você precisa saber sobre miopia

Tudo o que você precisa saber sobre miopia

A miopia é um erro refrativo muito comum, onde os olhos conseguem ver tudo de perto, mas não possuem capacidade de enxergar com clareza os objetos que estão longe.

Para quem tem miopia, o globo ocular possui um formato mais longo, fazendo com que a imagem não seja formada de maneira correta na retina, com isso, a imagem que é transmitida para o cérebro, não é observada de forma certa, fazendo com que a visão dos objetos que estão mais longe pareça turva, provocando a dificuldade de enxergar.

Os sintomas da miopia

De todos os sintomas da miopia, os principais são: não enxergar bem de longe e ter a vista totalmente embaçada. Porém, existem outros sintomas como:

* Dores de cabeça;

* Olhos doloridos e cansados;

* Lacrimejamento;

* Necessidade de apertar os olhos para ver claramente.

Sintomas da miopia degenerativa

* Aumento permanente do tamanho da pupila;

* Má visão de longe mesmo com óculos ou lentes de contato;

* Luzes piscando e pontos negros no campo de visão.

Caso não haja um tratamento correto e adequado, a miopia pode se desenvolver com mais rapidez, podendo ocasionar uma cegueira permanente. As crianças também podem desenvolver a miopia, portanto fique atento aos sinais que elas podem apresentar, como:

* Dificuldade em aprender a falar;

* Dificuldade de aprendizado na escola;

* Não enxergar objetos de longe;

* Dores frequentes de cabeça;

* Esfregar os olhos com frequência.

Tipos de miopia

Miopia degenerativa – É conhecida como miopia maligna ou patológica, considerada grave e rara. Esse tipo de miopia pode causar cegueira.

Miopia congênita – Grau de miopia presente desde o nascimento.

Miopia de curvatura – É quando a córnea ou o cristalino possui uma curvatura mais acentuada, que não esteja no estado normal.

Miopia Axial – Ocorre quando o globo ocular é mais longo e evolutivo, fazendo com que seja um dos graus mais altos de miopia.

Miopia secundária – Uma consequência do deslocamento do cristalino, comum em idosos que possuem catarata ou glaucoma.

Miopia de índice – Esse tipo de miopia surge em pessoas com a idade já avançada, causando o aumento refrativo do índice do cristalino, fazendo com que a pessoa enxergue bem de perto e mal de longe.

Diagnóstico

Para identificar se o paciente possui miopia, é necessário fazer uma série de exames, todos indicados pelo oftalmologista. Nesses exames, caso haja a presença do erro refrativo no paciente, será possível identificar o grau em que a miopia se encontra. Além disso, os sintomas que o paciente apresenta devem ser levados em consideração. Somente os exames são capazes de identificar o erro refrativo e em qual grau ele se encontra, para que o médico possa indicar e iniciar o melhor tratamento para o caso.

Progressão da miopia

Em seu estágio inicial, não há muitas alterações nos olhos, apenas alguns defeitos próximos ao nervo óptico. Nessa situação, a miopia fica em grau mais baixo ou moderado. A progressão pode ser limitada, na maioria dos casos, até os 20 anos de idade. Agora, em casos mais graves e muito avançados, o globo ocular continua se alongando, fazendo com que o grau fique ainda mais alto, e isso vai se agravando com a idade.

Causas

A miopia pode ocorrer devido ao histórico familiar ou por causa de outros fatores, como longos períodos de leitura, diabetes, baixa luminosidade e uso de medicamentos.

Você sabia que existe a falsa miopia?

Muito diferente da miopia que já conhecemos, a falsa miopia pode ocorrer devido ao uso excessivo de aparelhos eletrônicos, fazendo com que a visão seja fixada excessivamente em distâncias curtas, fazendo com que o paciente tenha dificuldade de enxergar à distância de maneira correta.

Portanto, a falsa miopia pode afetar pessoas que fazem o uso excessivo de computador, por exemplo, ou quem passa muitas horas lendo algo, usando a visão de perto.

Para evitar a falsa miopia, faça uma pausa a cada 20 minutos, se estiver realizando algumas dessas atividades, isso fará com que você dê um descanso para as vistas, nesse curto espaço de tempo, que já é o suficiente para evitar esse problema.

Os sintomas da falsa miopia são:

* Dor de cabeça;

* Cansaço visual;

* Visão dupla;

Exames realizados para identificar a miopia:

* Pentacam (mapas topográficos e paquimetria);

* Teste de visão das cores;

* Teste dos movimentos oculares;

* Exame de retina, mácula e disco ótico;

* Exame de lâmpada de fenda do segmento anterior do olho;

* Teste de refração para determinar o grau;

* Medição da pressão ocular.

Tratamentos para miopia

O tratamento mais comum para cuidar desse caso, é fazer o uso de óculos de grau ou lentes de contato. Agora, para quem deseja eliminar o problema definitivamente, há a possibilidade de realizar cirurgias refrativas que podem ser feitas a partir dos 21 anos, reduzindo a necessidade de usar óculos ou lentes de contato.

Cirurgias para miopia

LASIK: essa cirurgia é indicada para quem possui problemas de visão em até 10 graus de miopia. A recuperação da visão é de 1 a 2 dias.

PRK: para quem não possui a curvatura corneana adequada ou para quem tem a córnea muito fina, essa cirurgia é a mais indicada, além de ter uma recuperação muito mais rápida. Porém, um dos riscos desse processo, é a turvação da córnea central.

LASEK: essa cirurgia é muito semelhante à cirurgia LASIK, mas nesse procedimento existe a vantagem de não fazer nenhum corte na córnea. Entretanto, o tempo de recuperação desse procedimento é um pouco mais lento, comparado aos dois tipos de cirurgias que foram citadas acima.

Graus de miopia

Existem diferentes graus de miopia, medidos em dioptrias, e o paciente pode sentir menor ou maior dificuldade para enxergar de longe, tudo isso, dependendo do grau em que a doença refrativa se encontra. Ou seja, quanto maior for o grau, maior a dificuldade de enxergar de longe.

* Miopia ligeira – até 3 dioptrias

* Miopia moderada – de 3 a 6 dioptrias

* Miopia alta – mais de 6 dioptrias

É importante lembrar que, somente o médico oftalmologista, vai indicar a melhor maneira para tratar esse problema. Por isso, recomendamos consultar um médico especialista.

Deixe um comentário