O que é estrabismo convergente

O que é estrabismo convergente: causas, sintomas e como tratar

O estrabismo convergente também é conhecido como esotropia. Nessa situação, o desvio do olho é horizontal, se direcionando para o centro do rosto, em direção ao nariz. Desse modo, assim como os outros tipos de estrabismo, o estrabismo convergente pode ser desenvolvido em qualquer idade ou no nascimento.

Em crianças de até seis meses, é muito comum que os olhos possuam certos desvios, mesmo não tendo estrabismo. Por isso, é essencial se consultar com o médico oftalmologista para que ele dê um diagnóstico correto.

Tipos de esotropia

Esotropia congênita – A esotropia congênita é conhecida como infantil, que se desenvolve já nos primeiros seis meses de vida. A causa desse tipo de estrabismo ainda é desconhecida, mas é muito comum e pode afetar os recém-nascidos. Caso um dos olhos se volte para dentro com mais frequência do que o outro, a criança pode correr um risco maior de obter ambliopia, conhecida como olho preguiçoso. A esotropia infantil é geralmente tratada com cirurgia ou uso de óculos.

Esotropia constante – Esse tipo de esotropia ocorre quando o olho está voltado para dentro o tempo todo. Grande parte dos casos de esotropia são constantes, porém alguns casos de esotropia acomodativa são intermitentes.

Esotropia acomodativa – A esotropia acomodativa também é conhecida como refrativa, que se refere ao cruzamento dos olhos, causada pelos esforços de focalização dos olhos quando tentam enxergar com clareza. Pessoas que possuem esse tipo de esotropia, costumam ter hipermetropia. A esotropia acomodativa pode ser classificada em três tipos: refrativa, não refrativa e parcialmente acomodativa ou descompensada. Essas três formas podem surgir entre os 6 meses e 7 anos.

Esotropia não acomodativa – A esotropia não acomodativa se dá devido a um grupo de condições não associadas ao esforço de acomodação. Esse tipo de esotropia não está relacionado a nenhum problema refrativo, mas pode ter ligação a um tumor intracraniano ou até mesmo outras lesões do sistema nervoso central.

Esotropia intermitente – A esotropia intermitente está ligada ao status acomodativo flutuante do paciente, quando os olhos se esforçam para focar. Se não for tratada de maneira correta, a esotropia intermitente pode se transformar em esotropia constante. Esse estrabismo intermitente é muito observado em bebês e pode desaparecer antes dos 3 meses de vida.

Sintomas do estrabismo convergente

  • Olhos que parecem estar desalinhados e voltados para dentro
  • Baixa visão
  • Visão duplo
  • Percepção de profundidade diminuída

Estrabismo infantil

No caso das crianças, os principais sintomas que elas podem apresentar são:

  • Desvio em um dos olhos
  • Diminuição da nitidez de um olho
  • Virar ou inclinar a cabeça de forma frequente, podendo provocar torcicolo

Tipos de estrabismo:

Estrabismo intermitente – Quando ocorre uma variação de alinhamento e desvio, ele não se manifesta de maneira constante. Esse é o tipo de estrabismo mais comum.

Estrabismo alternante – Esse desvio pode variar entre um olho e outro.

Estrabismo vertical ou hipermetropia – Ocorre quando o olho é voltado para cima ou para baixo.

Estrabismo convergente ou esotropia – Ocorre quando o olho é voltado para dentro. Ou seja, para o nariz.

Estrabismo divergente ou exotropia – Esse desvio ocorre quando o olho é voltado para fora, para as orelhas.

Como é feito o tratamento

Nos adultos, uma das formas mais utilizadas é a cirurgia de correção ou o uso de óculos para amenizar o problema. Mas é possível também utilizar exercícios ortópticos para fortalecer o músculo e também, a aplicação de colírios. Agora, para bebês de até seis meses, o uso de tapa-olho é a melhor opção mais procurada pelos responsáveis. O tapa-olho obriga a criança a usar apenas um olho (o que está desalinhado) e então, isso ajuda no desenvolvimento dos músculos desse olho. No entanto, se o estrabismo se manifestar em crianças mais velhas, além de fazer o uso do tapa-olho, é necessário fazer o uso também de óculos de grau, já que nesse período, a criança já não enxerga de forma adequada.

Tratamento para adultos

Em alguns casos específicos, apenas o uso de óculos de grau é o bastante para ajudar na correção do desvio, mas há outras opções de tratamento, como:

  • Uso de colírios de grau
  • Aplicação de colírios
  • Tapa-olhos para estimular o olho desviado a trabalhar os músculos responsáveis pelo alinhamento dos olhos
  • Exercício ótico de fortalecimento dos músculos dos olhos

Cirurgia

Caso o estrabismo persista, a cirurgia é recomendada, mesmo já feito outros tratamentos para corrigir. Nessa situação, o que determina se apenas um olho vai ser operado ou dois, é o desvio. É importante lembrar que, o procedimento cirúrgico só deve ser feito se o médico oftalmologista recomendar. Somente ele pode prescrever o melhor tratamento para essa situação, tudo vai depender do caso em que o paciente se encontra.

Procure um médico oftalmologista para te auxiliar melhor quanto a essa doença. Agende uma consulta no Centro Clínico Imagem agora mesmo clicando aqui.

 

Deixe um comentário