Gestação e doenças oculares

Gestação e doenças oculares

Durante o período gestacional, o corpo da mulher passa por diversas mudanças. A gravidez afeta todo o sistema do corpo humano e alterações oculares também acontecem nesse período, sendo comum o surgimento de alguns problemas.

Em algumas situações, ocorrem alterações transitórias, que não precisam de tratamento, enquanto algumas são permanentes.

O que muitos não sabem, é que as alterações podem ser divididas em alterações fisiológicas, que surgem de maneira normal durante a gestação, e as alterações patológicas, que podem ocorrer pela primeira vez durante o período gestacional ou que estão relacionadas à doenças que são afetadas pela gravidez.

As alterações visuais ocorrem por conta de mudanças nos níveis de progesterona, um hormônio que possui um papel fundamental durante a gestação.

Problemas mais comum que ocorrem na gestação 

Diabete emocional – No período gestacional acontece o aumento de produção do hormônio lactogênio placentário, que impede a produção de insulina, aumentando ainda mais os níveis de açúcar no sangue.

Esse aumento excessivo pode danificar os vasos sanguíneos que alimentam a retina e com isso podem ocasionar problemas na visão, como: retinopatia diabética, glaucoma neovascular e hemorragia vítrea. Estima-se que 7% das gestantes tendem a desenvolver esse problema.

Portanto, caso haja algum desses sintomas oculares, é fundamental se consultar com o oftalmologista, de maneira imediata. Em alguns casos, é preciso de uma avaliação do oftalmologista juntamente com o obstetra.

Síndrome do olho seco – Esse é um problema temporário e que desaparece logo após o nascimento do bebê. É ocasionado pelas alterações hormonais, muito comuns na gravidez, que são potencializadas pelas condições externas como a exposição ao vento, fumaça, ar condicionado e poeira.

Os sintomas dessa alteração ocular são: vermelhidão, coceira e sensação de areia dentro dos olhos.

Mudança de grau – É preciso saber que variações hormonais também podem ocasionar mudanças refrativas, como o aumento da curvatura da córnea e do cristalino, que podem ocasionar um desvio refrativo, fazendo com que aumente o grau dos óculos ou até alteração nas lentes de contato. Tudo pode voltar ao normal de sete a oito meses, após o nascimento do bebê.

Os sintomas são: tontura e dores de cabeça.

Sensibilidade à luz – A córnea tem a sua sensibilidade diminuída nos últimos três meses de gestação. Logo após o nascimento do bebê, tudo volta ao normal.

O sintoma mais comum neste caso é a enxaqueca.

Desdobramentos da pré-eclâmpsia – A pré-eclâmpsia ocorre depois da 20º semana de gestação. É um problema de estado de hipertensão. Os desdobramentos desse problema podem ser descobertos através dos olhos e ocorrem em 8% das gestantes.

Os sintomas são: visão embaçada, perda temporária da visão, formação de flashes e maior sensibilidade à luz.

Visão manchada e pontos pretos na imagem – A visão manchada e os pontos pretos podem ser sinais de pressão alta durante a gestação. Nesta situação, é muito importante ter o acompanhamento médico, pois os níveis altos de pressão sanguínea podem ocasionar o deslocamento da retina.

Outros problemas que precisam ser avaliados durante o período gestacional são a rubéola e a toxoplasmose, mesmo que não ameacem a vida da gestante, quando essas doenças ocorrem na gravidez, principalmente no primeiro trimestre, a visão do bebê pode ser gravemente comprometida.

A rubéola, quando ocorre na gravidez, pode causar catarata no bebê. Sendo assim, todo o cuidado é necessário durante o pré-natal, para que a criança não seja seriamente afetada pelas consequências que essas doenças podem causar.

Cuidados com a visão durante a gestação

 Acompanhamento médico: para a saúde da gestante e do bebê, é muito importante fazer o acompanhamento médico de maneira correta e garantir que não haja nenhum problema durante esse período e caso seja detectada alguma anormalidade, o médico saberá o que fazer e poderá indicar o melhor tratamento.

Vida saudável: tenha uma dieta equilibrada e mantenha repouso. Em algumas situações, é necessário fazer o uso de suplementos vitamínicos como ferro, cálcio e ácido fólico. Mas tudo isso, é claro, receitado e indicado pelo médico, não faça automedicação.

Cuidado ao usar medicamentos: fazer o uso de medicações incorretas pode ocasionar muitos problemas e complicações na gravidez. Portanto, tome apenas medicamentos que sejam indicados pelo obstetra.

5 fatos sobre saúde ocular na gestação

A claridade pode incomodar

Devido às alterações de grau ocasionadas pelas mudanças hormonais, algumas gestantes podem ter sensibilidade à luz durante o período gestacional, a famosa fotofobia. Isso pode ser um problema durante as atividades no dia a dia. Sendo assim, a melhor solução para esse problema, é fazer o uso de lentes fotossensíveis, que tem uma melhor adaptação em diferentes níveis de claridade, proporcionando mais conforto para as gestantes, além de obter proteção contra os raios UVA e UVB.

Lentes de contato podem comprometer a córnea

Para as grávidas que usam lentes de contato, é preciso que o cuidado seja ainda maior. Isso porque a mulher fica ainda mais tendente ao edema na córnea e também à contaminação nas lentes, que podem ocasionar úlcera na córnea. Portanto, é preciso ter um cuidado redobrado com o uso das lentes no período gestacional.

Tenha atenção para proteger a saúde ocular do bebê

Mesmo durante a gravidez, é preciso se preocupar com a saúde ocular do bebê, já que algumas doenças podem surgir no período gestacional, o que pode prejudicar a saúde ocular da criança.

Faça cirurgia de miopia somente após o nascimento do bebê

Fazer a cirurgia de miopia durante a gestação não é nem um pouco indicado, pois todo o procedimento necessita de cuidados extras. Durante a gestação, existe a possibilidade de acontecer uma alteração de grau, portanto é recomendado realizar a cirurgia após o nascimento da criança.

Tome cuidado ao usar colírios

O mau uso de colírios durante a gravidez pode trazer problemas ao bebê. Os colírios são medicamentos e são absorvidos pelas mucosas do olho, chegando até a corrente sanguínea. Além disso, eles possuem conservantes que podem ser tóxicos. Consulte o oftalmologista para usar da melhor maneira possível.

Deixe um comentário