Entenda a importância de medir a pressão dos seus olhos

Entenda a importância de medir a pressão dos seus olhos

A pressão alta ocular é ocasionada por um acúmulo de líquido dentro dos olhos. Essa condição está associada ao glaucoma, que pode resultar na perda total da visão após a danificação do nervo óptico.

Isso tudo pode ocorrer devido a alta produção de humor aquoso nos olhos ou até mesmo pela dificuldade de drenagem desse líquido. A pressão intraocular saudável precisa estar entre 10 a 21 milímetros de hectograma.

É essencial se consultar com o oftalmologista uma vez por ano. Pessoas que possuem mais de 40 anos de idade precisam avaliar como está a pressão nos olhos, pois caso seja diagnosticada a hipertensão ocular ou o glaucoma, o tratamento precisa ser iniciado imediatamente, conforme a prescrição do médico.

Causas de pressão alta nos olhos

Existem alguns fatores que podem contribuir no desenvolvimento da pressão alta nos olhos. São eles:

  • Diabetes;
  • Pressão arterial alta;
  • Ter miopia grave;
  • Produção excessiva de líquido ocular;
  • Anemia falciforme;
  • Trauma nos olhos ocasionados por pancadas;
  • Tumor ocular ou inflamação;
  • Uso prolongado de medicamentos corticoides;
  • Ter mais de 40 anos;
  • Histórico familiar de hipertensão ocular ou glaucoma;
  • Ter a córnea mais fina.

Quais os fatores de risco da pressão alta nos olhos?

Como foi citado no início, o principal risco de alta pressão é a evolução do quadro de glaucoma, que pode ocasionar a perda da visão. Os sintomas de pressão alta nos olhos e do glaucoma são bem parecidos. Confira abaixo:

  • Visão turva;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nos olhos;
  • Olhos avermelhados;
  • Perda progressiva da visão periférica, podendo ocasionar a perda geral da visão;
  • Dificuldade de enxergar nitidamente;
  • Pupilas dilatadas de maneira constante.

Exames que são realizados para diagnosticar a pressão alta nos olhos.

Tonometria: esse exame é realizado com o auxílio de um colírio anestésico, onde o médico aplica uma leve pressão sobre o globo ocular para medir o PIO.

O exame avalia a pressão dentro dos olhos através de um equipamento que sopra ar dentro deles.  Além disso, deve ser realizado nos dois olhos, em 2 ou 3 consultas e em diferentes horários.

Teste de campo visual: esse exame verifica como a visão periférica ou lateral está. Isso é feito para identificar se há perda no campo de visão.

Acuidade visual: exame que avalia a capacidade do paciente de enxergar. Isso é feito através de leitura de letras e objetos que ficam posicionados do outro lado da sala.

Paquimetria: esse exame faz a avaliação da espessura da córnea, o que facilita o médico a entender se a leitura da pressão ocular está correta ou se está sendo afetada por uma córnea muito grossa.

Oftalmoscopia: nesse exame, o médico faz o uso de um colírio, que dilata as pupilas para examinar o nervo óptico, a córnea, a retina, as veias e as artérias.

Lâmpada de fenda: nesse procedimento, o oftalmologista usa uma fonte de luz, que possui uma alta intensidade para avaliar a estrutura dos olhos, como a íris, córnea e a lente.

Como é feito o tratamento da pressão alta nos olhos

Com o acompanhamento do médico oftalmologista, o tratamento é feito com o uso de colírios, que ajudam a controlar a pressão dentro dos olhos. Entretanto, em alguns casos, é preciso fazer o procedimento cirúrgico, que pode ser com laser ou uma cirurgia ocular, que vai reduzir a pressão alta nos olhos.

O oftalmologista pode prescrever também o tratamento através do uso de remédios via oral, que podem ajudar a controlar toda a pressão no olho, principalmente em pacientes que são diagnosticados com glaucoma.

Como controlar a pressão alta nos olhos

O quadro de glaucoma não tem cura, mas a pressão alta nos olhos pode ser diminuída através do uso de colírios e medicações. Além disso, ter hábitos saudáveis podem contribuir para prevenir a hipertensão nos olhos.

Controlar o estresse também é um fator muito importante para ajudar nessa questão, além de consumir alimentos balanceados e evitar o consumo em excesso de álcool, tudo isso pode ajudar a controlar a pressão alta nos olhos.

Agora, um cuidado que é imprescindível é consultar regularmente um oftalmologista. Somente ele pode avaliar a situação, além de realizar exames e indicar a melhor maneira de cuidar desse problema.

Qual é o valor normal da pressão intraocular

A pressão intraocular normal é definida por valores entre 10 e 21,5 mmHg, que são milímetros de mercúrio. Os valores podem obter uma certa amplitude, devido às características específicas de cada paciente. Ou seja, o oftalmologista vai avaliar e levar em consideração os critérios que definem o valor da pressão intraocular, definindo se é normal ou não, tudo dependendo do caso.

A pressão intraocular é uma situação que precisa de cuidado e atenção, porque além de interferir na irrigação sanguínea dos olhos, dificulta a drenagem do humor aquoso. Esses fatores podem causar danos ao nervo óptico, prejudicando a visão e causando a cegueira permanente.

Qual a relação entre a pressão intraocular e o glaucoma?

O glaucoma é uma doença do nervo óptico, que é causada principalmente pelo aumento de pressão nos olhos. O glaucoma se dá pela lesão e defeito no nervo óptico e a pressão intraocular, acontece quando a pressão é maior que 21mmHg.

O glaucoma e a pressão intraocular, normalmente andam juntas, mas elas podem acontecer separadamente. Ou seja, a pressão alta sem o glaucoma e o glaucoma sem a pressão alta.

Um pouco sobre o que é o glaucoma para entender

O glaucoma é uma doença grave, que surge devido ao aumento da pressão intraocular. É uma doença assintomática nas fases iniciais e pode provocar a cegueira, caso não seja tratada de maneira correta.

O glaucoma é uma doença que não tem cura, mas existem algumas formas de tratar esse problema, fazendo com que o paciente tenha uma vida normal. Os sinais e sintomas do glaucoma geralmente são sensibilidade à luz, dor de cabeça e nos olhos.

Mantenha sua saúde ocular em dia, procure um oftalmologista.

Deixe um comentário